Assessoria de imprensa e comunicação profissional (99) 98151-5252

Assessoria de imprensa e comunicação profissional (99) 98151-5252

BLOG DO NEGRAO | PAULONEGRAO.COM.BR

BLOG DO NEGRAO | PAULONEGRAO.COM.BR

Contas bloqueadas pela Suíça são de filhos de Lobão

0 comentários
Sentenças dos tribunais suíços confirmam que o senador Edison Lobão (PMDB-MA) estão entre os políticos brasileiros que "fazem parte de uma investigação" por corrupção. Os documentos também apontam que contas secretas na Suíça em nome dos dois filhos do senador foram bloqueadas. O Ministério Público da Suíça confirmou que as contas estão em nome de Edison Lobão Filho e Márcio Lobão, alvo já da Polícia Federal no Brasil.
De acordo com sentenças dos tribunais suíços de 15 de julho de 2015, delações premiadas no âmbito da Lava Jato "revelou um vasto sistema de corrupção, de financiamento de partidos e de lavagem de dinheiro". "Partidos políticos e empresas fazem parte da investigação. Entre as pessoas está Edison Lobão. Seus dois filhos, Edison Lobão Filho e Márcio Lobão também são alvos da investigação brasileira", indicou a sentença.

As suspeitas são de que essas contas receberam depósitos de origem criminosa. De forma preventiva, os recursos estão bloqueados em mais de uma conta desde 2015 e um processo criminal foi lançado contra ambos.

"Podemos informar que o Escritório do Procurador-Geral da Suíça abriu processo criminal em fevereiro de 2015", indicou o MP em um comunicado. "Nesse contexto, o Procuradoria Geral congelou contas bancárias", declarou. Uma delas estaria em nome de Edison Lobão Filho. A outra estaria "em nome de seu irmão", indicou o MP suíço e numa referência Márcio Lobão."A investigação suíça está em andamento", completou a procuradoria, sem informar os valores congelados.

Ao jornal O Estado de S. Paulo, o Ministério Público Federal já indicou que vai pedir cooperação dos suíços para obter os dados. Lobão atua como presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Mas foi citado nas delações da Lava Jato. A reportagem apurou que as contas não estão em nome do senador, mas a pessoas e empresas ligadas a ele.

O que chamou a atenção dos investigadores é que parte das transferências ocorreu com a movimentação de somas de dinheiro sem qualquer tipo de justificativa, o que acendeu os sinais de alerta entre os serviços de monitoramento.

Segundo a apuração do jornal, foi o próprio banco usado que, diante do surgimento do nome de Lobão entre os citados nas delações da Lava Jato, optou por comunicar às autoridades suíças a existências das contas. Agora, elas estão sendo investigadas diante da suspeita de que tenham sido usadas para receber dinheiro de propina no setor elétrico, em especial no que se refere à usina de Belo Monte.

Nos últimos meses, os dois filhos de Lobão usaram todos os mecanismos legais para impedir que os dados relacionados com as contas fossem enviados ao Brasil e, assim, usados em um eventual processo no País. A reportagem apurou que, por duas vezes, os tribunais suíços rejeitaram os recursos apresentados pelos donos das contas.

Numa das decisões, os advogados alegaram que não existem provas de que o dinheiro tenha origem suspeita e que a medida é desproporcional. Os juízes, porém, rejeitaram o argumento. Outro argumento era de que o banco que tomou a decisão do congelamento não havia informado de forma adequada os filhos do senador. A tese também foi derrubada.

Ainda assim, o processo está em andamento na Suíça e, portanto, os documentos e extratos não foram repassados aos procuradores brasileiros. O Ministério Público da Suíça optou por manter bloqueadas as contas até que seja esclarecida a origem.

Futuro

Esgotados todos os procedimentos legais, a esperança de procuradores brasileiros é de que o caso seja enviado ao Brasil, assim como ocorreu no processo do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Não tendo residência na Suíça e nem vínculos com o país, os suspeitos teriam maiores chances de serem punidos.

Para que haja uma repatriação do dinheiro, porém, os envolvidos precisam ser condenados em última instância ou fechar um acordo de delação premiada em que estejam de acordo a devolver os recursos.

Deputado Léo Cunha solicita instalação de unidade de pescado em Imperatriz

0 comentários

O deputado estadual Léo Cunha (PSC) subiu novamente à tribuna durante sessão plenária na última quinta-feira (23), onde solicitou ao ministro da Agricultura, Pecuária e Pesca, Blairo Maggi, a instalação de uma unidade de beneficiamento de pescado (Frigorífico de Peixe), na cidade de Imperatriz, segundo maior município do estado. A indicação de número 098/17 foi publicada no dia 14 de fevereiro no Diário da Assembléia.
O parlamentar afirmou que o motivo da implantação se dá por conta do crescimento e expansão dos produtores de peixes em cativeiro (piscicultores) em Imperatriz e outras localidades no sudoeste do Maranhão. A produção abastece a maioria dos municípios de região tocantina, além de cidades nos estados vizinhos do Tocantins e Pará. “Encaminhei esse pedido para o ministro, pois essa necessidade dos municípios da região tocantina por conta da estrutura de produção e que apresenta um mercado favorável”, explicou.

A instalação de um frigorífico de peixe será de grande valia aos produtores que passarão a contar com um local adequado para beneficiamento da produção e, conseqüentemente, possibilitar agregar valor ao produto final. Além disso, a instalação da unidade vai oferecer mais qualidade ao consumidor com variados tipos de peixes, com embalagens higiênicas e certificados de controle e sanidade animal.

“A região tocantina é responsável por boa parte da produção pesqueira em cativeiro do estado. Um tipo de atividade que vem crescendo ao longo dos anos e profissionalizando-se. Produtores de baixa e média renda sobrevivem desse tipo de trabalho e possibilitam uma rede de geração de emprego e renda”, afirmou o deputado.⁠

Planalto anuncia Osmar Serraglio como novo ministro da Justiça

0 comentários
O presidente Michel Temer escolheu o deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) para comandar o Ministério da Justiça, no lugar de Alexandre de Moraes, nomeado para o Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quarta-feira (22). No início da noite desta quinta-feira (23), o porta-voz do Palácio do Planalto, Alexandre Parola, fez o anúncio oficial da nomeação. Segundo ele, Temer expressou "plena confiança" na capacidade de Serraglio para conduzir os trabalhos da pasta.
"Jurista e congressista com larga trajetória parlamentar na Câmara dos Deputados, o deputado traz sua ampla experiência profissional e política para o trabalho de levar adiante a agenda de atribuições sob sua responsabilidade", afirmou Parola.País

O presidente Michel Temer escolheu o deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) para comandar o Ministério da Justiça, no lugar de Alexandre de Moraes, nomeado para o Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quarta-feira (22). No início da noite desta quinta-feira (23), o porta-voz do Palácio do Planalto, Alexandre Parola, fez o anúncio oficial da nomeação. Segundo ele, Temer expressou "plena confiança" na capacidade de Serraglio para conduzir os trabalhos da pasta.

"Jurista e congressista com larga trajetória parlamentar na Câmara dos Deputados, o deputado traz sua ampla experiência profissional e política para o trabalho de levar adiante a agenda de atribuições sob sua responsabilidade", afirmou Parola.


Em seu quinto mandato como deputado federal, Serraglio é ligado à bancada ruralista, exercendo a coordenação da frente parlamentar da agricultura. O deputado também foi 1º secretário da Mesa da Câmara de 1º de fevereiro de 2007 a 1º de fevereiro de 2009, presidindo ainda a Comissão de Constituição e Justiça em 2016.

A bancada do partido vinha pressionando o Executivo pelo nome de Serraglio, com o argumento de que ele tem o melhor perfil para o cargo. Os peemedebistas também teriam entendido que era preciso fechar questão com agilidade, para que a importante pasta fosse ocupada por alguém do partido. A bancada do PMDB na Câmara vinha pleiteando mais espaço para o partido no governo.

Mais cedo, o vice-líder do governo na Câmara, deputado Darcisio Perondi (PMDB-RS), havia confirmado a escolha de Serraglio e disse que o nome agradou a maior parte da bancada do PMDB.

“O presidente Michel Temer foi muito feliz na escolha de Serraglio. Agradou muito os deputados do PMDB. Serraglio é um jurista, está preparado para o cargo e é muito estudioso. Foi relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPMI) dos Correios e do Mensalão”, disse Perondi.

Proximidade com Eduardo Cunha

Reportagem do jornal Deutsche Welle desta quinta-feira (23) destaca que, como deputado, Serraglio ficou conhecido nacionalmente nos anos 2000 ao assumir a relatoria da CPI dos Correios, que também apurou as denúncias do escândalo do Mensalão no governo Lula. No início da CPI, a indicação de seu nome contou com o apoio dos petistas, mas ao final dos trabalhos a relação com os aliados ficou estremecida.

Ainda segundo a reportagem, nos anos seguintes, Serraglio seria identificado como um aliado do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB). No final de abril de 2016, após a passagem do impeachment na Câmara, o deputado chegou a declarar ser favorável a uma espécie de anistia para seu colega de partido, que à época era alvo de um processo de cassação no Conselho de Ética da Casa.

"Eduardo Cunha exerceu um papel fundamental para aprovarmos o impeachment da presidente. Merece ser anistiado", disse ele em abril de 2016 ao site Congresso em Foco. À época, o deputado disse que sua frase havia sido retirada de contexto.

O DW prossegue: "Em março do mesmo ano, Serraglio foi um dos defensores do desembarque do PMDB do governo Dilma Rousseff, o fato político que erodiu o que restava da base de apoio da ex-presidente no Congresso. Semanas depois, o deputado também votou a favor do afastamento da petista."

Ainda segundo a reportagem, pouco depois, Serraglio assumiu a presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara com apoio de Cunha. A escolha levantou dúvidas se a sua atuação seria no sentido de ajudar o aliado, já que a comissão exerce bastante influência no Conselho de Ética. Serraglio também chegou a declarar à imprensa que o processo contra Cunha "não ia dar em nada".

No entanto, dias depois da posse Serraglio na CCJ, Cunha acabou sendo afastado da presidência da Câmara por ordem do STF. O Deutsche Welle destaca que, após o afastamento de Cunha e a perda de influência do deputado, a postura de Serraglio mudou, e a CCJ negou diversos recursos de Cunha. O processo no Conselho de Ética acabaria resultando na cassação do deputado fluminense.

Léo Cunha solicita envio de veículos fumacê para o combate ao mosquito aedes aegypti nos municípios do Maranhão.

0 comentários
Em pronunciamento na tribuna durante sessão plenária na manhã desta quinta-feira (23), o deputado estadual Léo Cunha (PSC) informou que encaminhou pedido de indicação de número 178/17, publicada hoje no Diário da Assembléia Legislativa, em que solicita o envio de veículos pulverizadores (carro fumacê) para os municípios do estado com maior ocorrência de proliferação do mosquito Aedes Aegypti.
A solicitação foi encaminhada ao ministro da Saúde, Ricardo Barros e ao presidente da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), Antonio Henrique de Carvalho Pires. Durante o discurso, o parlamentar questionou se o Governo do Estado está tomando medidas para combater o mosquito, transmissor de doenças como dengue, zika vírus, chikungunya e febre amarela.

“Ando o Maranhão todo e faz mais de dois anos, entrando agora no terceiro ano que não vejo nenhum carro Fumacê circulando nas ruas. O que vejo são hospitais, UPAs, postos de saúde infectadas por essas doenças e a pior de todas se aproximando do Maranhão, que é a febre amarela”, disse.

Na indicação, o deputado Léo Cunha ainda alerta que medida visa combater o mosquito na fase adulta evitando o aumenta das doenças com incidência potencializada no período chuvoso. "Solicito que se destine com urgência carros Fumacê para as nossas cidades, precisamos de estrutura para fazer este combate", pediu o deputado Léo Cunha.

Câmara aprova projeto que cria documento de identidade único

0 comentários
De acordo com a agência Câmara, o DIN dispensará a apresentação dos documentos que lhe deram origem ou nele mencionados e será emitido pela Justiça Eleitoral, ou por delegação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a outros órgãos, podendo substituir o título de eleitor.O documento utilizará a base de dados biométricos da Justiça Eleitoral, do Sistema Nacional de Informações de Registro Civil e dos Institutos de Identificação dos Estados e do Distrito Federal.

Ministro Eliseu Padilha pede licença do governo para cirurgia

0 comentários
O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, pediu licença do governo para fazer uma cirurgia da retirada da próstata, segundo o jornal Folha de S.Paulo. A informação foi confirmada pela TV Globo. Ele viajou para Porto Alegre (RS), onde mantém residência, e deve fazer o procedimento neste fim de semana.
A assessoria do ministro informou que ele está de licença médica desde segunda-feira (20), quando foi hospitalizado em Brasília. A licença vence no dia 6 de março, quando ele deve retornar ao Palácio do Planalto, segundo a assessoria.
Nesta semana, Padilha passou dois dias internado em um hospital de Brasília por conta de uma obstrução urinária provocada por uma hiperplasia prostática benigna, que gera aumento excessivo da próstata. Ele recebeu alta na manhã de quarta-feira (20).
Eliseu Padilha tem 71 anos e é um dos principais conselheiros do presidente da República, Michel Temer. À frente da Casa Civil, ele integra o chamado núcleo duro do governo e atua diretamente na articulação política do Palácio do Planalto.
Hiperplasia prostática
Depois dos 40 anos, é comum que o homem tenha a hiperplasia benigna da próstata, um crescimento da próstata sem implicações graves, mas que pode comprometer a qualidade de vida.
A próstata aumentada pode estreitar a passagem da urina, o que pode dar vontade de ir ao banheiro a todo momento e até atrapalhar o sono do paciente.
Esse problema pode ser apenas acompanhado, tratado com medicamentos (finasterida ou dutasterida) ou, em alguns casos, até cirurgia. Nos casos em que a próstata cresce, mas não causa problemas, o homem deve fazer exames de toque retal e de sangue (conhecido como PSA) anualmente.
Yunes cita Padilha
O afastamento de Padilha ocorre no momento em que o advogado José Yunes, amigo e ex-assessor especial do presidente Michel Temer, disse em depoimento ao Ministério Público Federal que recebeu um envelope em 2014 a pedido do ministro.
Em entrevista ao blog da Andréia Sadi, por telefone, Yunes disse que o "envelope" foi deixado em seu escritório por Lúcio Funaro, doleiro que hoje está preso pela Lava Jato.
Em depoimento à Operação Lava Jato, o ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht Cláudio Melo Filho disse que o escritório de Yunes foi usado para repasse de dinheiro ao PMDB via Eliseu Padilha. Os pagamentos haviam sido acertados em uma reunião no Palácio do Jaburu do qual participaram Marcelo Odebrecht, Padilha e Temer.
Na entrevista ao blog, Yunes confirmou que recebeu o envelope, mas disse não saber que havia dinheiro nele, e avaliou ter servido de "mula" para Padilha.
O ex-assessor de Temer disse que não conhecia Lúcio Funaro e que nunca o havia visto no PMDB. Yunes relata, entretanto, que o doleiro comentou que estava fazendo a campanha de Eduardo Cunha, do PMDB, para a presidência da Câmara dos Deputados, e para mais de 100 parlamentares.
"Ele estava falando sobre política. Eu não o conhecia. Eu confesso a você que depois que ele saiu eu fui no Google e fiquei estarrecido com a figura. Eu não tinha histórico dele. Até porque ele era do mercado financeiro e eu, do imobiliário", disse Yunes ao blog.

LAVA JATO: Ministério Público da Suíça bloqueou contas bancárias ligadas ao senador Edison Lobão (PMDB-MA)

0 comentários
O Ministério Público da Suíça bloqueou contas bancárias ligadas ao senador Edison Lobão (PMDB-MA)e abriu um processo penal sobre o assunto.

As contas estariam em nome de um dos filhos de Lobão e foram bloqueadas por causa das investigações da Lava Jato e da corrupção no setor elétrico.
Por ISTOÉ

POLÍCIA: COMANDANTE DO POLICIAMENTO DO INTERIOR ANUNCIA AUMENTO DO EFETIVO DE CAROLINA

0 comentários
O comandante do Policiamento do Interior Área 06, coronel Edeilson Carvalho, e o comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar de Balsas, coronel Juarez Medeiros, reuniram-se com o comandante da 2ª Companhia de Policiamento de Carolina tenente Hélio Reis, e com todo o seu efetivo, na tarde desta quinta-feira (23), no Salão do Júri, do Fórum de Carolina, ao final da visita de inspeção, avaliação e levantamento das necessidades locais da Polícia Militar. Ao final, coronel Edeilson Carvalho anunciou o aumento do efetivo e viaturas do município de Carolina.
Após a apresentação de dados da atuação da 2ª Cia de Carolina em 2016 e dos dois primeiros meses do ano, o tenente Hélio Reis destacou a necessidade da aproximação dos comandantes da PM com seus comandados. “Numa sociedade com valores morais invertidos, é necessária maior aproximação entre comandantes e suas unidades regionais para que os objetivos da polícia seja alcançado”, disse em relação ao conhecimento dos fatos de cada localidade.

O comandante do 4º BPM, coronel Medeiros, foi breve em suas palavras, destacando a fala do coronel Edeilson Carvalho. “Estamos formando 64 novos policiais militares, destes 44 ficaram na cidade de Balsas. Seis serão destacados para Carolina, além do acréscimo de uma motocicleta às viaturas da 2ª Companhia”, destacou.

Comitiva busca reforço em Brasília contra fechamento de órgãos federais em Imperatriz

0 comentários

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017


Primeira agência do BB em Imperatriz, ao lado da Praça da Cultura

Em discurso realizado na manhã desta quarta-feira (22), o deputado estadual Professor Marco Aurélio (PCdoB) destacou   a ida a Brasília de uma comitiva de Imperatriz e municípios vizinhos para audiências que visam impedir o fechamento de agências bancárias e da sede da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional de Imperatriz.

No fim de 2016 foi anunciado o fechamento o fechamento da agência do Banco do Brasil da Praça da Cultura, programado para acontecer no mês de Março, além do do Banco do Nordeste da Avenida Bernardo Sayão.

Segundo o deputado, os fechamentos são reflexo da política de cortes realizada pelo governo federal. "É impensável o fechamento da seccional da Procuradoria Geral da Fazenda Nacio­nal (PGFN) em Imperatriz, órgão do Ministerio da Fazenda que atende toda a Região Tocantina. Reitero sua importância devido ao crescimento regional e ao aumento das demandas na área tributária em toda nossa região. A PGFN de Imperatriz conta com o reconhecimento pelo profissionalismo, dedicação e presteza no atendimento aos contribuintes. Com sua desativação, contadores, gestores públicos, empresários e demais contribuintes, terão que se deslocar até São Luís, o que trará morosidade na resolução de problemas, pois o volume de processos em São Luís é bem maior." Declarou Marco Aurélio.

O encaminhamento de criação desta comitiva foi feito pelo deputado estadual Professor Marco Aurélio, na audiência pública realizada na câmara de vereadores Imperatriz, há poucos dias. A partir da proposição, o parlamentar dialogou com os deputados federais  Rubens Júnior (PCdoB), o líder da bancada maranhense na câmara, Jucelino Filho (DEM) e Zé Reinaldo (PSB), onde ficou definido que nos dias 8 e 9 de Março serão realizadas reuniões com os deputados da Bancada Federal Maranhense e órgãos competentes para que as providências sejam tomadas.

A comitiva será formada por representantes da Assembleia Legislativa do Maranhão, Prefeitura de Imperatriz, Câmara Municipal de Imperatriz, Associação Comercial e Industrial de Imperatriz, OAB , também terá a participação do ex-prefeito Sebastião Madeira e de membros da associação dos prefeitos da região Tocantina, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Imperatriz, Sindicato dos Bancários e outros segmentos. O prefeito de Imperatriz, Assis Ramos também confirmou presença na agenda.

FORA DO PODER: Madeira reconhece lealdade politica dos vereadores João Silva e José Carlos

0 comentários
Veja a declaração do ex prefeito sebastião Madeira, ao repórter Paulo Negrão.