Acesse as notícias de Imperatriz e região. pnegrao@gmail.com

Acesse as notícias de Imperatriz e região. pnegrao@gmail.com

OPERAÇÃO PISCICULTURA

0 comentários
SÃO LUÍS/MA: A Superintendência Regional da Polícia Federal no Maranhão deflagrou na manhã desta quinta-feira, 04/02/2016, em São Luís/MA, a Operação Piscicultura, com a finalidade de desarticular associação criminosa especializada em repassar cédulas falsas.
As investigações, iniciadas em dezembro de 2015, surgiram após diversas denúncias de vítimas do esquema criminoso. O modus operandi consistia na compra de produtos de luxo, tais como jóias, perfumes e celulares de última geração com o pagamento em cédulas falsas.
As investigações apontam que o grupo criminoso teria adquirido, inicialmente, um lote de R$ 100.000,00 (cem mil reais) em cédulas falsas, e estaria “derramando” em diferentes comércios na Capital. Além disso, os investigados já se preparavam para repassar mais dinheiro falso no feriado de Carnaval, período em que há grande circulação de dinheiro em espécie.
A Polícia Federal cumpriu 12 Mandados Judiciais, sendo 02 de prisão preventiva, 03 de prisão temporária e 07 de busca e apreensão. Ressalte-se que os 02 principais integrantes do grupo criminoso já haviam sido presos em 25/01/2016 na cidade de Alto Alegre do Maranhão/MA, quando estavam na posse de 6 cédulas falsas de R$ 100,00 (cem reais).
A Operação contou com a participação de 28 Policiais Federais, sendo denominada PISCICULTURA (Criação de Peixes) em alusão ao fato de que a associação criminosa age repassando cédulas falsas de R$ 100,00 (cem reais), que tem como animal estampado nas notas a garoupa.
Não será concedida entrevista coletiva.


Comunicação Social da Polícia Federal no Maranhão
Telefones: 98-31315105
98-991286428

Deputado Wellington realiza audiência pública sobre a Inclusão da Pessoa com Deficiência

0 comentários

Deputado Wellington realiza audiência pública sobre a Inclusão da Pessoa com Deficiência

"Inclusão, inovações e desafios do Estatuto da Pessoa com Deficiência". Esse foi o tema da primeira audiência pública de 2016, realizada pelo vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado estadual Wellington do Curso (PPS), na tarde da última terça-feira (2).

A reunião aconteceu no auditório Fernando Falcão, da Casa Parlamentar, e contou com a presença e participação do defensor público de Direitos Humanos e Tutela Coletiva, Yuri Costa; do assessor jurídico da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Alysson Azevedo; do Secretário de Direitos Humanos do Estado, Francisco Gonçalves; do Secretário de Estado de Ciência e Tecnologia, Bira do Pindaré; da Procuradora Regional dos Direitos do Cidadão no Maranhão, Talita Oliveira; do Promotor especializado em pessoa com deficiência, Ronald Pereira; do Presidente do Conselho Estadual dos Direitos da pessoa com deficiência do Maranhão, Dilson Bessa, entre outros  representantes de entidades das pessoas com deficiência e sociedade civil no geral.

Ao iniciar as considerações, o assessor jurídico da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Alysson Azevedo, apresentou uma introdução sobre a base do Estatuto das pessoas com deficiência. Dando continuidade à temática, o defensor Yuri Costa explicou a dinâmica de apresentação do Estatuto e lamentou a não aprovação integral da Lei. "A Lei não foi aprovada integralmente, pois ocorreram vetos. Nem tudo aquilo que se queria, em termos de acesso, foi aplicado", disse.

Para Benito Pereira, representante do Núcleo de Defesa do Idoso e da pessoa com deficiência, "deveria ser obrigatório que todo ente tivesse um Plano para cada pessoa com deficiência, a exemplo de um Plano de Cronograma de Obras por parte da Prefeitura de São Luís quanto à acessibilidade das ruas".

Ao fazerem uso da palavra, os membros da plateia, de diversas representatividades, parabenizaram o deputado Wellington por realizar uma audiência com essa importante temática e, na ocasião, relataram as diversas dificuldades que enfrentam no dia-a-dia devido à inoperância e insensibilidade do poder público, além de manifestarem indignação pela ausência do secretário de Trânsito e Transporte de São Luís e de mais representantes da classe política para debaterem políticas públicas em defesa das pessoas com deficiência.

"Dignidade ou insanidade? Para o cadeirante, não se pode mensurar o valor. As cadeiras são nossas próprias pernas, nossos próprios filhos. Filhos de uma legislação que defende os direitos das pessoas com deficiência, mas é órfã da atenção dos poderes públicos. A deficiência não é o problema. A dificuldade está na sociedade que não nos dá atenção. Somos diariamente humilhados. Que lei de inclusão é essa?", questionou Liane Sousa, mãe de um jovem com paralisia cerebral.

Ao discursar, o deputado Wellington, que no primeiro ano de mandato se destacou como o deputado das minorias e dos direitos humanos, pontuou ações e enfatizou a importância de se ouvir e, só então, apresentar as solicitações das pessoas com deficiência.

“Por respeitarmos o lema ‘Nada sobre nós, sem nós’ do movimento das pessoas com deficiência, realizamos tal audiência, objetivamos estabelecer um debate acerca das principais disposições do Estatuto, destacando suas possibilidades de efetivação no Maranhão. Bem sabemos que vários são os desafios enfrentados pelas pessoas com deficiência. Infelizmente, a acessibilidade e a inclusão ainda estão distantes de concretude em nosso estado. Por sabermos disso, propomos tal Audiência, tendo por objetivo dar voz aos que, não raras vezes, são esquecidos pelo Poder Público. Torna-se necessário que tenhamos uma visão sensível pautada nas necessidades das pessoas com deficiência e, então, possamos traçar os passos que percorrerão o caminho que leva ao estado que respeite a pessoa com deficiência e não o exclua socialmente.”, afirmou o deputado Wellington.

Após as 06 horas de Audiência, alguns encaminhamentos foram elencados. Sendo eles:
-Adaptação de prédios públicos, a fim de garantir a acessibilidade nas instituições;
-Elaboração do Plano Estadual de Políticas Públicas das Pessoas com Deficiência;
-Implantação do Cadastro Único para o passe livre estadual das pessoas com deficiência;

-Anteprojetos de lei com modificações no Estatuto da Pessoa com Deficiência, ampliando os direitos
-Regulamentação do Fundo do Conselho Estadual das Pessoas com Deficiência;

-Reativação da Frente Parlamentar da Defesa da Pessoa com Deficiência;
-Alteração na Lei Estadual de Incentivo ao Esporte, acrescentando percentual ao desporto;
- Realização de visita à Universidade Estadual do Maranhão-UEMA e à Universidade Federal do Maranhão-UFMA, a fim de apurar as condições de acessibilidade.

Marcelo Salles não é mais treinador do Imperatriz

0 comentários

Pedrinho Rocha técnico campeão de 2005, é novo treinador do Imperatriz. Ele já está em São Luís e agora à tarde comanda o treino coletivo do Cavalo de Aço, oportunidade em que define o time que joga sexta-feira à noite contra o Maranhão no estádio Castelao.
O anúncio foi neste momento pelo presidente Alex Santos, que em São Luís conversou com Marcelo Salles e em comum acordo deliberou pelo afastamento do ex-treinador carioca que dirigiu a equipe desde de dezembro, fez quatro jogos, um amistoso e três pelo campeonato maranhense, com um saldo geral de três empates e uma derrota.
Pedrinho Rocha no ano passado foi sondado para vir treinar o Imperatriz, mas não tinha disponibilidade. Agora feito o novo convite, inclusive com o aval do vice-presidente Nilson Takashi, Pedrinho aceitou o desafio e assume o time agora mesmo.
O coletivo será realizado no campo de futebol da Cidade Operária.
... mais informações no final da tarde...

Promoção se disser que o anuncio no programa ou site ganha mais 5% de desconto TOK BOLSAS VOLTA AS AULAS PRORROGADO

0 comentários
Veja o Video e se disser que o anuncio no programa ou site ganha mais 5% de desconto

Roberto Rocha destaca espírito empreendedor de Imperatriz ao receber título de cidadania

0 comentários
O senador Roberto Rocha (PSB-MA) recebeu nesta terça-feira (2) o título de cidadão imperatrizense. A solenidade na Câmara de Vereadores contou com a presença do vice-prefeito de Imperatriz, pastor Porto, e do ex-prefeito, Ildon Marques. A outorga do título foi proposta pela vereadora Caetana Frazão (PSDB) e aprovada por unanimidade pelos vereadores.
“O título que esta casa teve a generosidade de me oferecer é para mim mais que uma honra, é também uma grande responsabilidade”, afirmou o senador, que também fez um agradecimento especial à vereadora Caetana Frazão. Em seu discurso, ele ressaltou a vocação empreendedora de Imperatriz. “É um farol e um modelo para todos aqueles que acreditam, como eu, que o enfrentamento das nossas desigualdades depende principalmente da força empreendedora do nosso povo.”
Roberto Rocha lembrou que segundo estudo realizado pelo IPEA, ao final do ano passado, chamado Atlas da Vulnerabilidade Social, Imperatriz é a única cidade do Maranhão que atingiu o índice de baixa vulnerabilidade. Em todo o Nordeste apenas 28 cidades encontram-se nessa faixa. O estudo analisou os 5.565 municípios brasileiros, fazendo cruzamentos de mais de 85 indicadores de demografia, educação, renda, trabalho, habitação e desenvolvimento humano.
“Essa é a grande lição que Imperatriz tem a dar ao Maranhão. Aqui se empreendeu, aqui se correram riscos, aqui se fez com a vontade coletiva de um povo misturado, de várias origens”, exaltou Roberto Rocha. O senador defendeu em seu discurso que, tomando Imperatriz por exemplo, o estado projeta os vulneráveis com políticas sociais, mas estimule projetos empreendedores, desonere quem quer trabalhar e trate o setor produtivo como um aliado do desenvolvimento.
Na sessão solene também ocorreu a outorga de título de cidadania ao professor da Universidade Estadual do Maranhão, Prof Dr Jomilson Moraes dos Santos, e entrega da medalha do mérito legislativo a Sandra Regina Gomes de Oliveira.

Durante abertura dos trabalhos parlamentares, deputado Wellington pontua os desafios do 2° ano de mandato

0 comentários

Durante abertura dos trabalhos parlamentares, deputado Wellington pontua desafios do 2° ano de mandato

Na manhã desta terça-feira (2), o deputado estadual Wellington do Curso (PPS) reiniciou os trabalhos oficiais no Parlamento Estadual, em sessão solene, reafirmando o seu compromisso em defesa do Maranhão.

A solenidade ocorreu na Assembleia Legislativa do Maranhão e contou com a presença do governador do Estado, Flávio Dino (PCdoB); da desembargadora Maria das Graças Duarte, vice-presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão; do representante da prefeitura de São Luís, Severino Sales; do presidente do Tribunal de Contas do Estado, José Jorge Pavão, além dos deputados estaduais e outras autoridades.

Na ocasião, Wellington, considerado um dos deputados mais atuantes no ano de 2015, ratificou o seu compromisso em defesa do Maranhão e salientou suas expectativas quanto à atual legislatura.

"Durante o nosso primeiro ano de mandato, tivemos uma atuação pautada na realidade do maranhense, enfatizando as denúncias e solicitações da população. O ano de 2015 foi um ano de aprendizagem, que nos mostrou os passos iniciais que trilham pelo caminho em defesa do povo do Maranhão. Inúmeros foram os desafios que enfrentamos e bem sei que muitos desafios estão por vir. No entanto, independente dos desafios e das problemáticas que venham aparecer, continuaremos pautando nossas ações na defesa dos direitos sociais como a educação, a saúde e a segurança pública. Para tanto, esperamos continuar com a participação popular, ouvindo e dando atenção ao cidadão maranhense", ressaltou o parlamentar.

O deputado destacou, ainda, a primeira audiência pública de 2016 que realizará na Assembleia.

"Na tarde de hoje, objetivando discutir sobre a inclusão das pessoas com deficiência, realizaremos uma Audiência Pública. Assim sendo, continuaremos dando voz à população, representando os seus anseios e suas solicitações, acreditando em um novo jeito de fazer política", afirmou o deputado.

Blog do Paulo Negrão: a entrevista de Ildon Marques falando sobre a pré campanha a prefeito de Imperatriz

0 comentários
Confira a entrevista abaixo

0 comentários
GOVERNO DO MARANHÃO SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

NOTA

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Sejap) informa que detentos da Cela 6, do Pavilhão A, da Unidade Prisional de Ressocialização de Imperatriz II (UPRI II), foram impedidos de receber visitas de seus familiares, no último domingo (31), porque foram enquadrados em disciplina, por terem praticado má conduta interna.

No último sábado (30), enquanto estavam no "banho de sol", foi feita uma revista na referida cela, onde foi verificado que os presos haviam iniciado um buraco, e escondiam chuços (espetos de ferro, feitos artesanalmente).

Por esta razão, e também por terem resistido à ordem de retorno ao pavilhão, após a inspeção, os mesmos foram impedidos de receber seus parentes no dia seguinte; situação esta que gerou insatisfação por parte dos internos e de suas mulheres e motivaram denúncias infundadas de maus-tratos no sistema.

A Sejap garante ainda que a nova "Normatização Interna Penitenciária", que começou a ser aplicada, este ano, em todos os presídios do estado, inclusive na UPRI II, também tem sido motivo de insatisfação dos presos, uma vez que as novas regras reforçam os padrões de segurança prisional, coibindo, portanto, a prática de fugas, mortes, e outros crimes dentro do ambiente carcerário.

Lajeado Novo realiza prévia do carnaval com sucesso de público

0 comentários
Em clima de muita alegria e descontração, a prefeitura de Lajeado Novo por meio da secretaria de cultura realizou a prévia do carnaval 2016, no ultimo sábado reuniu um publico de aproximadamente 15 mil pessoas na praça centra da cidade. A multidão temia que o evento pudesse não acontecer diante da situação econômica que Lajeado e outros municípios enfrentam, porem o prefeito Francisco Edosn (PCdoB), conseguiu juntar esforços e realizar a prévia da folia para a comunidade e anunciar o período de folia nos quatro dias oficias de carnaval.
Na noite de sábado a previa foi animada pela banda imperatrizense comandada por Juliano Reis, e a galeara que começou as 19 horas com o som automotivos, as 22 horas vibrou com Juliano Reis, a festa só terminou na madrugada, deixando um gostinho de saudade para o próximo final de semana, segundo garantiu o secretario municipal de cultura Zequinha.
O prefeito Dr Edson garante a comunidade que o período de carnaval 2016, a comunidade vai poder brincar o carnaval com todo a a estrutura garantida pelo município, não sendo necessário os munícipes saírem, de Lajeado para a festa em outras cidades da regia como já ocorreu em outras épocas.

MP exige funcionamento de leitos da UTI infantil em Imperatriz

0 comentários
O Ministério Público do Maranhão propôs Ação Civil Pública, no dia 25, contra o Município de Imperatriz, devido à metade dos leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) infantil do Hospital Municipal, mais conhecido como Socorrinho, estarem fora de funcionamento há mais de um mês.
Na manifestação ministerial, as Promotorias de Justiça de Defesa da Saúde e da Infância e Juventude pedem à Justiça que obrigue Poder Executivo municipal a regularizar a oferta de UTIs, no prazo de 20 dias, sob pena de multa diária de R$20.
O Socorrinho é o único estabelecimento de Imperatriz que possui UTI’s especiais para crianças de até 12 anos, usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS).

Após receber denúncia anônima, feita no dia 22, informando os problemas nos leitos da UTI infantil, o promotor de justiça da Saúde de Imperatriz, Newton de Barros Bello Neto, realizou inspeção no hospital, atestando que cinco dos dez leitos do Socorrinho estão inativos.

Conforme depoimentos de um médico plantonista e de outros profissionais, os leitos de UTI estão sem funcionamento em virtude da falta de equipamentos, bem como por ausência de manutenção adequada.

Os titulares das Promotorias de Justiça em Defesa da Saúde e da Infância e Juventude, promotores Newton de Barros Bello Neto e Alenilton Santos da Silva Júnior, afirmam que a inoperância da metade dos leitos traz prejuízos incalculáveis e potencial risco para todas as crianças dos municípios da região.

“É importante lembrar que nos últimos dez anos, a ausência de leitos de UTI infantil em Imperatriz contribuiu para a morte de várias crianças. Segundo alguns registros, só no ano de 2010 morreram mais de 40 crianças em razão da falta deste serviço”, ressaltou o promotor Newton Bello Neto.

Na tentativa de encontrar uma solução mais rápida para o caso, além da ACP, a Promotoria de Defesa da Saúde também expediu uma Recomendação ao Município solicitando providências para o imediato retorno do funcionamento dos leitos inativos da UTI Infantil.