Acesse as principiais notícias de Imperatriz e região

Acesse as principiais notícias de Imperatriz e região

Mara La Rocque 2 3 0 0 0 fez palestra para trabalhadores da construção civil nesta quarta feira

0 comentários

Mara La Rocque 2 3 0 0 0 fez palestra para trabalhadores da construção civil nesta quarta feira
A palestra realizada ma manhã desta quarta feira (23), segue uma agenda da candidata iniciada ainda na pré campanha, junto aos trabalhadores da construção civil.
O encontro desta quarta, ocorreu no canteiro de obras da construtora plainar (edifício Medical Center), setor Maranhão Novo três poderes.
As 10 horas, Mara La Rocque 2 3 0 0 0 se reúne com o PR. Raul Cavalcante, presidente da Igreja Evangélica Assembléia de Deus. No fim da manha, reúne com a equipe de campanha e a tarde as 16 horas atende no escritório político na Rua Aquilis Lisboa no bairro Mercadinho. A partir das 19 horas, Mara participa de reuniões nas comunidades periféricas da cidade.

www.maralarocque.blogspot.com.br

Projeto do deputado Léo Cunha contempla tratamento público e gratuito a dependentes químicos, em Imperatriz.

0 comentários

Projeto do deputado Léo Cunha contempla tratamento público e gratuito a dependentes químicos, em Imperatriz.
O deputado Léo Cunha (PSC) elaborou um projeto para que seja implantado um Centro de Reabilitação de Dependentes Químicos em Imperatriz. O projeto foi elaborado no ano passado, e agora o parlamentar está novamente fazendo a cobrança, com objetivo de garantir aos dependentes, tanto do município, como de toda a região, uma oportunidade gratuita de recuperação por meio de tratamento público especializado.

"Esse centro irá garantir tratamento não apenas para dependentes químicos de Imperatriz, mas também de vários outros municípios localizados próximos, que também sofrem com esse mesmo problema, mas que muitas vezes não têm condições financeiras de pagar por um tratamento, perdendo a chance de reabilitação", ressalta.

É importante ressaltar, que mesmo diante do aumento da quantidade de dependentes químicos em toda a região Tocantina, o Estado ainda não oferece nenhum tipo tratamento. O que, segundo o deputado Léo Cunha, é uma situação muito preocupante. "Temos que fazer alguma coisa e rápido, para que essas pessoas possam ter o apoio que precisam para se reerguerem, e voltar ao convívio sadio da sua família e da sociedade", alerta.

Seguindo o exemplo de outras cidades brasileiras que estão em pleno crescimento, o consumo de drogas em Imperatriz é cada vez maior, entre as quais a mais grave, que é o crack. E essa é uma questão que precisa de iniciativas que possam dar uma expectativa aos dependentes e aos seus familiares que sofrem em ter que conviver com a situação diariamente.

Infelizmente, crianças estão incluídas entre viciados, e isso preocupa ainda mais o deputado. "Essas crianças precisam ser assistidas agora, para que possam ter um futuro digno", afirma.

Léo Cunha também enfatiza que o envolvimento com as drogas está entre as principais causas da violência, pois para alimentar o vício, o dependente na grande maioria das vezes é levado a cometer vários tipos de crimes. De acordo com os dados da Secretaria Extraordinária de Assuntos Estratégicos (Seae), as estatísticas demonstram que 92% da incidência de violência se relacionam ao consumo e ao tráfico de drogas.

"Essa é uma medida importante com reflexos diretos na diminuição da violência, pois com ela estaremos combatendo a fonte do problema, a causa de muitos crimes", enfatiza.

Simplício Araújo perde ação contra jornal O Estado…

0 comentários

O deputado federal Simplício Araújo (SDD) foi derrotado em sua pretensão de intimidar o jornal O EstadoMaranhão na Justiça Eleitoral.

Em sua ação – patrocinada pelo advogado Rodrigo Lago – ele pedia direito de resposta ao jornal por ter sido chamado de “preposto” de Dino, em nota que comentou sua ação de impugnação da candidatura do senador Lobão Filho (PMDB).

Rodrigo Lago é filho do ex-deputado Aderson Lago, apoiador da candidatura de Flávio Dino.

Este fato, por si só, já caracterizaria a pertinência da análise crítica da nota contestada, já que a ação de Simplício visou, de fato, questionar a candidatura do único adversário consistente do seu candidato, que vem a ser Flávio Dino – inclusive com os dois partidos devidamente coligados.

Além disso, as contrarrazões do EMA – apresentadas pelos advogados Marcelo Itapary e Mariana Vilhena, os mesmos que defendem este blog nas ações eleitorais – comprovou que o deputado, de fato, entrou com a ação contra o adversário de seu candidato. E que não há, no texto, nenhuma afirmação caluniosa, injuriosa, difamatória ou sabidamente inverídica

O desembargador Raimundo José Barros de Sousa analisou a questão, com base no Parecer do Ministério Público.

- Como destacou o Ministério Público, as expressões “preposto” e “pisou na bola”, considerando o atual contexto do debate político-eleitoral, não são suficientes para caracterização da difamação - afirmou o desembargador, em seu despacho.

E a ação de Simplício Araújo foi julgada totalmente improcedente…

Divulgação de pesquisa Econométrica/O Imparcial foi regular, diz Justiça Eleitoral

0 comentários
A Justiça Eleitoral decidiu que a publicação da pesquisa sobre as eleições do Maranhão, encomendada pelo jornal O Imparcial e publicada no dia 26 de junho, não desobedeceu em nenhum momento a legislação eleitoral. A decisão foi proferida no último dia 16 pela juíza auxiliar Maria José França Ribeiro, do TRE-MA, mas divulgada apenas hoje.

Ela julgou improcedente a ação do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) que tentou impedir a divulgação da pesquisa do Instituto Econométrica, encomenda pelo jornal. Na ocasião, o partido do candidato Flávio Dino tentou, por duas vezes, em dois processos distintos apresentados na mesma semana, evitar que o levantamento fosse publicado.

Para tentar barrar a publicação dos números da pesquisa, o candidato fez dois apontamentos. Primeiro, acusou a pesquisa de estar tendenciosa, uma vez que mediu o peso eleitoral de candidatos a presidente de república na eleição do Maranhão. Em um segundo processo, apontava que a amostra não obedeceu à regra que exige o registro da pesquisa em nível nacional, protocolado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Num mesmo despacho, a juíza indeferiu os dois questionamentos. Informou que a pesquisa respeitou os prazos legais e que a medição da influência do cenário eleitoral nacional em nível local não caracteriza intenção de levar o eleitor ao erro, nem mesmo é tendenciosa.

Sobre a necessidade de publicação dos bairros onde as perguntas foram feitas, a juíza assinalou que não houve erro por parte do instituto, mesmo que os dados tenham sido incluídos na data da publicação da pesquisa. “Não constato a presença de má fé na inclusão tardia desses dados (..). Ademais, não se extrai dos dados adicionados qualquer irregularidade que macule a pesquisa como um todo, a ponto de inviabilizar a sua publicidade”, disse a juíza.

Para o grupo O Imparcial, a decisão comprova a responsabilidade, seriedade e idoneidade do jornal, que busca, a cada eleição, fomentar o debate e informar os leitores com profissionalismo e imparcialidade. “Somos uma empresa de 88 anos e buscamos sempre fazer nosso trabalho com responsabilidade e muito respeito aos leitores e às instituições do Maranhão. Essa decisão reafirma tudo isso e faz justiça à nossa postura de, essencialmente, lutar pela informação de qualidade”, defende o diretor de administração, Pedro Henrique Freire.

A Ação

Na ocasião, o candidato Flávio Dino entrou com ação para suspender a publicação do levantamento no jornal e a justiça eleitoral deferiu, em caráter liminar, o seu pedido, penalizado o veículo com multa de R$ 50 mil caso a regra fosse descumprida. Mas o jornal O Imparcial só foi notificado quase um dia depois do resultado da pesquisa estar publicado, não caracterizando desobediência à lei eleitoral.

Com a decisão da juíza, a liminar perde efeito e declara totalmente legal a pesquisa, validando o seu resultado e a sua publicação pelo jornal O Imparcial e qualquer outro órgão. O pedido para que o jornal fosse multado também não tem mais validade.

Mesmo com a decisão contrária, o candidato Flávio Dino, por meio de seu advogado, Carlos Lula, recorreu e pede, em novo recurso, que a empresa seja multada e a pesquisa invalidada.

PM preso em Anapurus pelo roubo a equipe do Fantástico presta depoimento em SL

0 comentários
Prestou depoimento nesta segunda-feira (21), na Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI), o cabo da Polícia Militar, Raimundo Silva Monteles, o ‘Tatá’, preso na última sexta-feira (18), suspeito de envolvimento no roubo à uma equipe do Fantástico, da Rede Globo de Televisão na cidade de Anapurus, na quinta-feira (17).

Numa emboscada armada por sete pessoas, jornalistas tiveram equipamentos e imagens comprometedoras levadas. A equipe preparava matérias que trazem à tona esquemas de desvios de dinheiro no interior do Maranhão. Relembre o caso aqui.

O PM preso, é sobrinho e segurança particular da prefeita Tina Monteles. O grupo político dela e de mais três prefeitos, são os principais suspeitos de tentarem calar a imprensa.O depoimento de Raimundo Silva Monteles durou cerca de duas horas, mas as informações não acrescentaram muito às investigações. Ele confessou ter ido ao local do crime, mas não sabia do que se tratava.

“Ele respondeu às nossas perguntas de forma muito vaga. Nós o chamamos aqui porque queríamos mais detalhes, como o nome dos outros envolvidos e quais foram os carros utilizados por eles, mas nenhuma resposta dele esclareceu esses questionamentos”, disse o delegado Jair Lima de Paiva, Superintendente de Polícia Civil do Interior (SPCI).

Testemunhas confirmaram que foi o PM quem pegou o equipamento da equipe. “Com isso, já é possível presumir que ele não estava tão inocente assim nessa história”, disse o delegado.
A Polícia Civil que conta com apoio da Polícia Federal, estuda todas as possibilidades dando sequência às investigações, mas por enquanto, mesmo com todos os indícios, ainda é preciso provar os fatos.

Policiais trabalham agora para localizar o equipamento roubado e prender os foragidos envolvidos no crime.

Além do cabo Raimundo Monteles, mais seis pessoas estão envolvidas diretamente na emboscada. Três já foram identificados (Jairo Lisboa de Sousa, Agnaldo Rodrigues Alves e Manoel Francisco Monteles Neto) e estão com mandado de prisão preventiva expedido pela Polícia Civil. Os outros três, que ainda não foram identificados, são considerados foragidos.

Lobão Filho participa de reunião com prefeitos de 60 municípios maranhenses

0 comentários
O candidato a governador Lobão Filho (PMDB) foi recebido nesta segunda-feira (21) em almoço com prefeitos de 60 municípios maranhenses, a convite da governadora Roseana Sarney, os gestores municipais reiteraram o apoio ao senador peemedebista. A reunião ocorreu um dia após Lobão Filho percorrer 13 municípios do médio sertão maranhense com a caravana Pra Frente Maranhão.

Além dos gestores municipais e da governadora do estado, estiveram presentes na reunião, os peemedebistas Gastão Vieira, candidato ao Senado pela chapa de Lobão Filho, o senador João Alberto e o ex-presidente da República, também senador, José Sarney.

Durante a reunião, todos os líderes fizeram questão de reafirmar o compromisso de seus municípios em eleger Lobão Filho. O prefeito de São Bento, Carlos Alberto Pereira (PSDB), confirmou apoio à candidatura do peemedebista, mesmo filiado a um partido da oposição.

“Sou prefeito do PSDB, oposição, mas apoio Lobão Filho porque acredito que ele fará um grande governo e também porque a governadora já vem ajudando todos os municípios. Defendo a Roseana e defendo Lobão Filho, por ele ser o municipalista que é. Temos que nos aliar a quem ajuda nosso município, temos que estar ao lado de quem olha por nós”, confirmou.

O prefeito do município Governador Edison Lobão, Evandro Viana (PRB), também acredita na continuação de um governo atuante. “O Lobão Filho faz parte de um grupo que já vem administrando o estado com seriedade. Nosso município hoje é um canteiro de obras, graças à parceria com este grupo político, então só podemos querer essa continuidade. Mudar pra quê? Pra parar? Queremos que nosso Maranhão siga progredindo”, declarou o líder municipal.

O município de Bom Jesus das Selvas, representado pela prefeita Cristiane Damião (PTdoB) também declarou apoio e o desejo de continuidade. “Lobão Filho é a continuidade do progresso, do nosso trabalho. Quando meu povo precisa de alguma coisa, ele recorre a mim, e eu quando preciso de alguma coisa recorro à governadora. Por isso essa continuidade é importante. Ele está na política há muito tempo, faz um excelente trabalho no Senado, tenho certeza que ele irá honrar o nome do pai que já fez tanto por esse estado”, disse confiante.

Em seguida, Lobão Filho esteve com lideranças de São Luís e do interior em seu comitê, onde recebeu mais demonstrações de apoio.

O presidente do grupo Força Jovem, eixo Itaqui-Bacanga, Don Diego, declarou seu apoio e destacou a necessidade de políticas públicas voltadas para a juventude na capital. “Apoiamos Lobão Filho porque precisamos de um nome forte no governo para olhar pela juventude do Maranhão. Não é qualquer pessoa que tem a capacidade e a responsabilidade de assumir um cargo como esse, mas o Lobão é de extrema confiança, um homem de competência e com historia no Maranhão. Hoje a juventude está à mercê, não tem oportunidades e o índice de usuários de drogas cresce a cada dia. Esperamos e acreditamos que ele irá acolher a nossa causa”, afirmou o líder comunitário.

O município de Lago da Pedra também esteve no comitê com uma comitiva de oito vereadores, a prefeita Maura Jorge (DEM) e o vice-prefeito Laércio Arruda (PTB). O vereador Thiago Sá (DEM) de Lago da Pedra destacou: “Admiramos o trabalho realizado pela família Lobão e seu grupo político no Maranhão. Somos um grupo unido e essa união está nas ruas levando a mensagem do senador. Temos total convicção de que essa força nos fará vitoriosos”.

O que une Dilma, Aécio e Eduardo? Veja as ideias comuns aos presidenciáveis

0 comentários
Com discursos antagônicos ao longo da campanha eleitoral, os três principais candidatos à Presidência da República convergem, mesmo com visões pontuais diferentes, quando o assunto é manutenção dos principais programas sociais da gestão petista, transposição do Rio São Francisco e temas polêmicos, a exemplo de aborto e drogas.

Ao debater o Bolsa Família, que beneficia 13,8 milhões de famílias no Brasil, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB-PE) se apressam em dizer que vão mantê-los e, se possível, ampliá-los. O mesmo ocorre em relação ao Mais Médicos, mesmo que os dois defendam a necessidade de mudança nas regras de contratação e remuneração.

Em entrevistas recentes, o candidato do PSDB tem reforçado sua posição em relação ao Bolsa Família. “Política e administração pública é você copiar as coisas que dão certo e aprimorá-las. Não tenho o menor constrangimento de mantê-los e aprimorá-los”, salienta. O tucano diz que pretende promover alterações para tirar o cunho eleitoreiro do plano. “O Bolsa Família, no nosso governo, vai continuar. O que eu quero é tirá-lo do programa eleitoral. Transformá-lo em programa de Estado”, afirma.

Campos diz que é possível ampliar o número de beneficiários e diminuir a fila de quem espera para entrar no programa. Constantemente, gasta parte dos discursos no Nordeste para reforçar que não vai acabar com o Bolsa Família se for eleito. O candidato alega que “há uma campanha terrorista espalhando boatos”.

Em relação ao Mais Médicos, lançado por Dilma logo após os protestos que sacudiram o Brasil em junho do ano passado, também há a garantia por parte de Aécio e Eduardo de manter a essência do programa. O tucano afirma, no entanto, que não aceitará regras do governo cubano para o pagamento dos profissionais que participam da iniciativa. “Nós vamos manter o Mais Médicos, vamos fazer com que eles se qualifiquem e estabelecer novas regras para os médicos. Não vamos aceitar as regras do governo cubano”, declarou na semana passada durante sabatina realizada por Folha, Uol, SBT e Jovem Pan. Campos tem declarado que é preciso investir na capacitação do médico brasileiro. Afirma que vai, se eleito, fazer uma auditoria nos contratos firmados com os estrangeiros, mas descarta acabar com o programa.

Canais
Outro ponto que une Dilma, Aécio e Eduardo Campos é a Transposição do Rio São Francisco, maior obra hídrica em execução no país e deve beneficiar aproximadamente 12 milhões de pessoas quando os 700km de canais estiverem prontos. A dupla oposicionista ataca a lentidão para a conclusão da intervenção. “O Brasil virou um grande canteiro de obras inacabadas por conta da incapacidade do governo de gerenciamento”, ressalta o senador mineiro. Em caminhadas pelos principais estados nordestinos, o pessebista tem criticado a condução da obra. Até setembro do ano passado, o responsável por tocar a transposição era o ex-ministro Fernando Bezerra Coelho, indicado por Campos ao cargo.

De olho nas urnas, os três assumem posturas conservadoras quando o debate gira em torno de descriminalização da maconha e legalização do aborto. Campos, Aécio e Dilma já declararam publicamente ser contra a liberação da maconha. Recentemente, em um programa de televisão, o tucano e o pessebista tiveram opiniões semelhantes. Os dois defenderam que era preciso reforçar a segurança nas fronteiras para impedir a entrada de entorpecentes. Dilma não se posicionou sobre o tema durante sua gestão, no entanto, na campanha presidencial de 2010, alegou que não era possível descriminalizar qualquer droga no Brasil. Em relação ao aborto, os três defendem o que determina a legislação vigente no país. No ano passado, Dilma sancionou a lei que estabelece garantias à mulher vítima de violência sexual, incluindo a oferta da pílula de emergência e de informação sobre seus direitos ao aborto em caso de gravidez.

Pensamento parecido
Confira o que une Dilma, Aécio e Eduardo

Bolsa Família
Os dois principais adversários da presidente Dilma Rousseff defendem a manutenção do programa. Eduardo Campos alega que é preciso ampliar o número de beneficiários e diminuir a fila de quem ainda espera ser atendido pelo programa. O senador Aécio Neves repete que, numa eventual gestão tucana, o Bolsa Família será transformado num programa de Estado e deixará de ser eleitoreiro. Atualmente, são atendidos 13,8 milhões de famílias. O valor médio do benefício é de R$ 152,75.

Mais Médicos
Lançado pela presidente Dilma Rousseff logo após os protestos de rua de junho do ano passado para tentar suprir a carência de profissionais da área nos municípios do interior e nas periferias do Brasil, o programa será mantido se Eduardo Campos ou Aécio Neves forem eleitos. Os dois, no entanto, defendem mudanças nas regras de contratação e pagamento dos médicos estrangeiros.

Transposição do São Francisco
A maior obra hídrica em execução no Brasil, que prevê a construção de 700km de canais para desviar as águas do rio e beneficiar mais de 12 milhões de pessoas, é defendida pelos três candidatos. Aécio e Eduardo, no entanto, criticam a lentidão na entrega da obra, que teve o orçamento aumentado e só deve ser concluída no fim do próximo ano.

Descriminalização da maconha
Os três candidatos já demonstraram ser contra. Aécio e Eduardo declararam em entrevistas recentes que o Brasil precisa ampliar a segurança nas fronteiras para impedir a entrada de entorpecentes. A presidente Dilma Rousseff não se posicionou sobre o tema durante a sua gestão. Em 2010, declarou que o Brasil não tinha condições de legalizar nenhuma droga.

Aborto
Os três principais candidatos não defendem nenhuma alteração na atual legislação brasileira. Em 2010, pressionada por setores evangélicos, a presidente Dilma chegou a escrever uma carta afirmando ser contra o aborto. A atual legislação estabelece garantias para que a mulher seja prontamente atendida na rede pública de saúde nos casos de violência sexual.

Hoje é o último dia para participar da lista de espera do ProUni

0 comentários

Nesta terça-feira (22) é o último dia para aderir à lista de espera do Programa Universidade para Todos (ProUni) na página do programa na internet. Pela lista, os candidatos que não foram selecionados poderão concorrer às bolsas não preenchidas nas chamadas regulares.

Para participar, basta entrar na página pessoal com inscrição e senha do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2013 e confirmar a opção.

Todos os candidatos participantes da lista de espera deverão comparecer, nos dias 29 ou 30 de julho, às respectivas entidades de ensino e entregar a documentação para comprovar os dados repassados no ato da inscrição.

Podem integrar a lista para a primeira opção de curso, informada na hora da inscrição, aqueles que não foram selecionados em nenhuma das chamadas anteriores ou foram pré-selecionados na segunda opção de curso, mas não foram formadas turmas.

Candidatos pré-selecionados na primeira opção de curso, mas que não foi formada turma, podem integrar a lista de espera para a segunda opção de curso feita na inscrição.

O ProUni oferece bolsa de estudo integral ou parcial (50% da mensalidade) em instituições particulares de educação superior. O estudante precisa comprovar renda familiar, por pessoa, de até um salário mínimo e meio para a bolsa integral e de até três salários mínimos para a bolsa parcial. Esta edição do programa oferece 115.101 bolsas e tem 653.992 inscritos.

Candidata a deputada estadual Mara La Rocque 2 3 0 0 0 cumpre agenda na Vila Fiquene

0 comentários


Candidata a deputada estadual Mara La Rocque 2 3 0 0 0 cumpre agenda na Vila Fiquene
A candidata a deputada estadual Mara La Rocque 2 3 0 0 0, cumpriu agenda de campanha nesta segunda feira a noite na Vila Fiquene. A candidata preferiu palestra para um grupo de mulheres, onde falou da qualificação profissional, inclusão no mercado de trabalho, prevenção e combate as drogas, igualdade de gêneros entre outros assuntos.
Mara 2 3 0 0 0, recebeu o apoio e a confiança de várias famílias da comunidade de Vila Fiquene. A reunião, encerrou com um culto evangélico de consagração para abençoar a caminhada de Mara La Rocque, rumo a assembléia legislativa do Maranhão. As anfitriãs do encontro nesta segunda feira, Geane e Ana Paula, recolheram algumas sugestões da comunidade que vão integrar a carta de intenção e projeto de campanha de Mara La Rocque 2 3 0 0 0.

maralarocque23000@gmail.com


www.maralarocque23000.blogspot.com.br

Candidatos impugnados têm até hoje para apresentar defesa

0 comentários
Está chegando ao fim o prazo para defesa de impugnações de candidaturas. Foram 35 ações, e, dado o dia do recebimento da notificação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), o candidato tem sete dias para providenciar sua defesa. A validade dos registros das candidaturas deverá ser decidida até o dia 21 de agosto, segundo calendário da Justiça Eleitoral.

Segundo o artigo 38 da resolução nº 23.405 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), terminado o prazo para impugnação (encerrado no sábado, 12), o candidato, o partido político ou a coligação serão notificados. Tendo sete dias contestá-la ou se manifestar sobre a notícia de inelegibilidade, juntar documentos, indicar rol de testemunhas e requerer a produção de outras provas.

A assessoria do TRE explica que, como as notificações não foram entregues aos impugnados no mesmo dia, é difícil afirmar seguramente qual o último dia para a defesa.
Diante dos dados concedidos pelos impugnados, cabe a relatoria entre os desembargadores eleitorais. São os relatores que analisam, decidindo quando o processo está pronto para julgamento, e proferem voto em sessão.

Ressalta-se que, segundo a legislação eleitoral, para os julgamentos de registros de candidaturas e de impugnações não é necessário publicar pauta no Diário da Justiça Eletrônico. Basta que os relatores afixem em mural, nos seus gabinetes, até minutos antes da sessão, a relação contendo os números dos processos que pretendem levar a julgamento. Em caso de escuta de testemunhas, é necessária a publicação em pauta.

O TRE tem até o dia 21 de agosto para decidir o futuro dos impugnados, até lá, o candidato poderá continuar em campanha eleitoral, inclusive utilizando o horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão, conforme prevê a Resolução 23.405/2014 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).